TRIPA LOMBEIRA - Receita de Dona Zica da Mangueira

Avalie!
3.5 6
6 avaliações
Ingredientes
  • 1 1/2 kg de bucho
  • 500g de costela
  • 500g de lombo
  • 1 kg de batata inglesa
  • 500g de cenoura
  • 300g de lingüiça de Paio
  • 100g de azeitonas
  • 4 tomates
  • 4 limões
  • 2 colheres de chá de pimenta do reino em pó
  • 1/2 kg de feijão branco
  • 2 cebolas
  • 4 dentes de alho
  • 2 folhas de louro
Como fazer

Lavar a dobradinha com água e limão e cozinhar a dobradinha na panela de pressão com água, pimenta do reino, sal e louro por uma hora ou até ficar macia.
Cortar a dobradinha em tirase reservar.
Cozinhar o feijão à parte e reservar.
Cortar e escaldar o lombo, o paio e a costela até retirar o sal.
Aquecer o óleo, dourar as cebolas e o alho, Juntar os tomates, os salgados e refogar.
Acrescentar água e deixar ferver.
Juntar a dobradinha, as cenouras cortadas em meia lua, as batatas em corte sauté, as azeitonas, a salsa e o feijão já cozido.

Neta de D. Zica e Cartola, Nilcemar é formada em Letras e Nutrição e pós-graduada em Gestão na Qualidade. Atualmente cursa o Mestrado em Gestão de Bens Culturais e Projetos Sociais na Fundação Getúlio Vargas. É Diretora Cultural do G.R.E.S. Estação Primeira da Mangueira, Vice-Presidente do Centro Cultural Cartola e Diretora Técnico-Operacional do Museu e do Som.






Vídeos relacionados:

Você também pode gostar ...

Avalie!
3.5 6
6 avaliações
Este comentário foi relevante? 0

Tripa Lombeira


Muito bom receita de tripa lombeira

gelson de almeida - em 24/11/2012
Este comentário foi relevante? 0

tripa lombeira


SERÁ O ALMOÇO DO DIA 12 DE SETEMBRO NA AVETE

edna - em 27/08/2012
Este comentário foi relevante? 0

Tripa lombeira


O sabor é místico, porém dar pra identificar perfeitamente todas as carnes, ficou uma delícia! E nesse tempinho frio não tem coisa melhor; caiu como uma luva..

simone pereira gonçalves - em 18/06/2010
Este comentário foi relevante? 0

Por - NILCEMAR NOGUEIRA

Do meu avô, Cartola herdei o prazer da palavra. As suas letras, que eu já li e leio infinitas vezes, sempre me trazem um dado novo, uma nova e encantadora forma de expressar a beleza, a tristeza, o amor...

Fico pensando se um grande poeta escolhe a companheira ou se um anjo simplesmente cai do céu para protegê-lo, alimentá-lo e guardá-lo. Minha avó é esse anjo. Dentre as suas inúmeras qualidades estão o caráter, o espírito agregador, o bom humor, o otimismo e, sem sombra de dúvida, o gosto pela cozinha. Lembro-me dela cozinhando, do aroma que emanava das suas panelas, quando fui morar com ela, aos 14 anos - era uma poção mágica, feita com todo o apuro e amor, que, não por menos, me hipnotizava.

Achei que era uma questão de justiça reunir a sua arte em uma obra. Com o livro DONA ZICA TEMPERO, AMOR E ARTE permito que você compartilhe comigo um pouco da história dessa guerreira e de um verdadeiro banquete, que alimenta não só o corpo, mas, sobretudo a alma, ensinamentos só possíveis por espíritos iluminados.

chefgilvan1947 - em 26/10/2007
Vídeos - Como Fazer