Chefs convidados

Flávia Quaresma

2 avaliações |

Flávia não é só conhecida pelos pratos de qualidade que costuma preparar. A simpatia e o carisma também acompanham essa chef de 39 anos desde os tempos de estudante na Lê Cordon Bleu (França).

Como uma boa carioca, ela adora conversar e discutir idéias. Por isso, é comum encontrá-la no salão de seu restaurante do Rio de Janeiro, Carême Bistrô, ouvindo a opinião dos clientes, entre eles, artistas famosos, como, Cláudia Raia, Chico Buarque e Adriana Esteves. 

Ela também pode ser vista viajando mudo afora a fim de trazer as melhores novidades do universo gastronômico para o programa de TV, Mesa pra Dois (rede GNT), que divide com o chef Alex Atala, seu grande amigo.

Entre uma viagem e outra, Flávia é reconhecida por seus telespectadores. Já foi abordada nas ruas da capital portuguesa  e recebeu muitos elogios. Se não vai atrás de novas pautas e idéias para o programa, está em roteiros enogastronomicos em que o roteiro é traçado a partir de assuntos como gastronomia e cultura.

Ela também reserva parte de seu tempo para a consultoria de restaurantes e organização dos cardápios de seu buffet. Também estão em sua concorrida agenda, as aulas de culinária de sua própria escola - Q Criações Gastronômicas. 

Mas sempre acaba sobrando um tempinho para o lazer. É nessas horas que ela aproveita para conversar com os amigos e saborear o pastel de feijão dos botequins de Santa Tereza, no Rio de Janeiro.

Cyber Cook: Qual receita você indica para os usuários de Cyber Cook?

Flávia QuaresmaVieiras grelhadas com espuma de Ostras e Côco. Divino!

Cyber Cook: Depois de estudar medicina e jornalismo, você optou pela gastronomia por acaso enquanto estava na França. Como foi a reação da sua família?

Flávia Quaresma: Isso chega até ser um fato engraçado. Depois de passar por essas duas faculdades, nem tinha mais crédito. Quando fui estudar na França, caiu a ficha. Tinha que fazer gastronomia e estudar na Lê Cordon Bleu. Antes de começar lá, liguei para casa avisando a minha decisão e fiz um trato com meu pai. Nós combinamos que se eu arranjasse um emprego, ele me ajudaria a pagar o curso. Fiquei dois anos em Paris estudando e trabalhando como garçonete. Foi uma experiência maravilhosa. Quando voltei, também aprendi um pouco de administração na Clínica de Radiologia da família.

Cyber Cook: Com quem você aprendeu a cozinhar?

Flávia Quaresma: Minha avó cozinhava muito bem. Ela me ensinou coisas maravilhosas da culinária francesa, como, pães, suflês de chocolate, entre outras delícias, pois morou na França por muito tempo. A preferência por doces permaneceu durante a adolescência. Quando minhas amigas faziam aniversário, sempre me oferecia para preparar o bolo. Todo mundo adorava!

Cyber Cook: Quando esteve na Lê Cordon Bleu, você sofreu algum tipo de preconceito por ser mulher e brasileira?

Flávia Quaresma: Além disso, naquela época tinha 24 anos e era considerada velha.Isso mesmo! Os franceses começam a estudar gastronomia muito cedo. E ainda era super baixinha. Tenho 1,56 m! Mesmo com tudo isso, tinha uma grande vantagem: a simpatia. Acho que o brasileiro se dá muito bem lá fora por causa disso.

Cyber Cook: Pelo visto a simpatia te acompanha até hoje. Isso porque é comum encontrá-la no salão do Carême Bistrô conversando com os clientes. Isso te ajuda no dia-a-dia, na escolha de um prato para o cardápio?

Flávia Quaresma: Sem dúvida. Eu gosto de gente. É muito importante ouvir opiniões. Outro dia me deram ótimas sugestões para o Cassoulet (feijoada típica francesa) e achei ótimo.

Cyber Cook: Você costuma mudar muito o cardápio?

Flávia Quaresma: Estou sempre inserindo novas receitas devido à experiência que adquiro durante as minhas viagens. Se permanecer com os mesmos pratos por muito tempo, acaba virando rotina tanto para o cozinheiro quanto para o cliente. Mas as sobremesas de chocolate e a torta de maçã com creme brulée nunca podem sair de cena. Sou fanática por chocolate!

Cyber Cook: Como funciona a escolha das pautas para o programa Mesa pra Dois (GNT)?

Flávia Quaresma: Eu faço as pesquisas e a produção para o Alex. É um trabalho fascinante, pois sempre tive vontade de viajar para conhecer novos ingredientes e técnicas culinárias. Outro dia fui até Itariri (litoral sul de São Paulo) e fiquei impressionada com a qualidade das bananas produzidas. Eles aproveitam tudo o que é possível dessa fruta.

Cyber Cook: A união de um chef e uma chef na apresentação do programa é fundamental para o programa dar certo?

Flávia Quaresma: Também. Entretanto, o mais importante  é a união de uma carioca e um paulistano. Essa mistura é muito importante quando se trata de um programa de grande abrangência.

Cyber Cook: E trabalhar com o Alex, é complicado?

Flávia Quaresma: É fantástico trabalhar com ele. Ele é uma ebulição de idéias. Quando fiquei sabendo que iria dividir a apresentação do programa com um chef paulista, ele veio logo em minha mente, pois já gostava bastante do seu trabalho. Nós ficamos impressionados com o sucesso do programa. Já fui reconhecida no mercado do Recife, em um cinema no Ceará e até mesmo em Portugal.

Cyber Cook: Você sempre está viajando, seja para o programa ou em roteiros enogastronomicos. O que está programado para os próximos meses?

Flávia Quaresma: Há pouco tempo fui para o Chile e achei maravilhoso. Fiquei encantada com o Vale do Colchagua, seus peixes e frutos do mar super saborosos e ainda com a criação de salmão do sul. Tenho vontade de conhecer o Peru. Em setembro vou promover uma viagem enogastronomica à região da Borgonha (França).

Cyber Cook: Geralmente a programação dessas viagens é muito variada. Inclui passeios em vinícolas e bons restaurantes. Como é a resposta das pessoas que participam deste tipo de roteiro?

Flávia Quaresma: É engraçado porque as pessoas se empenham em fazer de tudo, até mesmo me acompanhar nas compras. São pessoas de todas as idades, desde 24 até 70 anos, de diversas profissões, como, advogados, médicos, e estudantes de gastronomia. Algumas assistem o Mesa pra Dois e ficam sabendo da programação. Além de experimentarem vinhos e saberem toda a cultura que envolve a bebida, também se interessam pelo preparo e técnicas culinárias francesas. É muito legal esse contato, a gente acaba fazendo grandes amigos.

Cyber Cook: Você presta consultoria para o contemporâneo Eça, nome dado em homenagem ao romancista Eça de Queirós, cuja sua obra é repleta a referências culinárias. Você gosta de ler? O que costuma fazer nas horas vagas?

Flávia Quaresma: Para te falar a verdade não sobra muito tempo. Mas comecei a ler a obra Azeite, da editora Senac. Também adoro conversar com os amigos e saborear aqueles pasteizinhos de feijão dos bares de Santa Teresa.   

Matéria assinada por:
Juliana Lopes

Comente e compartilhe com os amigos do Cook Club!

Dê sua avaliação

Este comentário foi relevante? 0

Curso Q Criações Gastronômicas
Gostei muito da reportagem com a Flávia, mas faltou o contato para o curso que ela oferece Q Criações Gastronômicas e tenho interesse nas tortas francesas.

Gostaria de receber o e-mail ou telefone para contato do curso.

Obrigada

Mara

Mara Velloso - em 03/03/2013

Este comentário foi relevante? 0

Excelente
Faz muito bem ingerir alimentos produzidos por uma pessoa tão cheia de vida e sensibilidade como Flavia!

Maria José Gomes - em 14/05/2010